BOAS-VINDAS!

Viva o hoje!
Sinta-se bem,
Sintonize-se com a vida!

SolBatt

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

VIRARTE NO JORNAL IGAÇABA DE ROQUE GONZALES por Solange da Cruz Battirola e João Weber Griebeler em DEZEMBRO 2008

POESIA DE FREDERICO EDUARDO WOLLMANN
O jardim

Guardo na memória de quando menino
Brincava entre os canteiros do jardim,
Me fascinava o beija-flor pequenino
Que bicava as flores bem perto de mim.

Me sensibilizava o perfume das flores,
Admirava nos céus as nuvens matizadas,
Como encanta a profusão de cores,
A vida decorria em contos de fadas.

Mas a primavera e o verão passaram
E o belo jardim sucumbiu à letargia,
Outono e inverno inclementes chegaram
E da vida vegetal desertou a anergia.

Meu jardim, quanto te olho agora
Vejo teu amargo aspecto e fico triste,
Estás como eu, a velhice aflora,
Ao tempo implacável nada resiste.

Mas retornará o dia que novamente
Teus tenros rebentos fortes surgirão,
Será a primavera que incipiente
Proverá a seiva das flores que abrirão.

Meu jardim! Eu e tu não somos iguais,
Almeja ser idêntico na plenite.
Tu voltas a ter as belezas naturais,
De mim abdicou para sempre a juventude.


Frederico Eduardo Wollmann, participou dos livros “Varais”, “Re-verso”, “Limiar” e da Agenda VirArte 2007, de duas edições dos “Poetas do Vale”, da coletânea “Somos Letras”, do Letras Contemporâneas V, dos volumes 10 e 11 da Série “Amigos”. Participa dos Acampamentos da Poesia, de Entre-Ijuís. É autor de “Sonhos, amores e saudades” (2000) e “Garimpando ternas emoções” (2006).
Rua General Portinho, 2137 Centro
Cachoeira do Sul/RS
96.508-061
Postado por SOLBATT
Postar um comentário